top of page
  • Foto do escritorHalk

ESCREVA cenas de luta CORRETAMENTE! - Um guia básico e prático.

Atualizado: 11 de jul. de 2023

Desde da primeira vez em que os contos foram contados, nunca nos cansamos de ver PORRADARIA. É onde conflitos podem ser resolvidos na base do "diálogo".

É com as cenas de lutas que todos os problemas se resolvem em um simples: quem ganha, quem perde. Porém! Sabia que os leitores pularem, ou simplesmente passar os olhos com pressa pela sua cena de luta, é algo mais comum do que você imagina? Principalmente nas novels escritas por amadores!


Se você começou a escrever agora, então saiba que suas cenas de luta correm o risco de espantar leitores.


Mas enfim, como evitar isso? Essa é a pergunta que espero responder nesse artigo bem básico. Sim, bem básico. Cenas de Lutas são complicadas, mantenha isso em mente. Mas como você pode escrever uma cena de luta que ninguém jamais pularia? Uma cena de luta tão emocionante que ficaria marcado para o resto de suas vidas?


Primeiramente, vamos começar com o básico. Pesquisando porque as pessoas pulam cenas de luta, você vai achar algumas reclamações recorrentes. Destas reclamações, fiz uma lista de oito coisas que muitas vezes dão errado.


Vamos dar uma examinada nelas uma a uma para ver como esses problemas podem virar soluções!


1. "Parece Separado da História."

 

Um dos principais motivos pelos quais as pessoas pulam as lutas é que a história é colocada "em espera" e fica parada até o final da cena.


Isso funciona bem em um videogame. Tem a cutscene, aí a historia para e aparece um monte de minions na sala para você dar uma de doomslayer.


Mas por que não funciona em novel? Porque no vídeo game você está LITERALMENTE enfrentando o desafio sozinho. Mas esse não é o caso em novels. A menos que dê para jogar a novel.


Então se estiver escrito apenas: "Eles lutam", quem poderia culpar os leitores de saírem da sala atrás de um sanduíche e depois aparecer para ver quem ganhou?

Piada ruim, eu sei...


Mas então, como podemos fazer a luta parecer parte da história e não separada dela?


Revelando quem são seus personagens através de suas ações.

 

É provável que um momento tenso de conflito físico (cena de luta) lhe mostre muito. Afinal, seus personagens podem até descobrir coisas que não sabiam sobre si mesmos.


Claro, você pode fazer grandes revelações dramáticas e dialogos gigantes shakespirianos, mas existem maneiras sutis de pensar sobre isso.


Vamos pegar o exemplo do filme Piratas do Caribe, onde Will e Jack estão lutando pela primeira vez.


Essa cena nos diz muito sobre Will e Jack.


Os detalhes são fornecidos no diálogo:

— Quem faz tudo isso? — perguntou o capitão, se referindo a todas as máquinas daquela oficina. — Eu que faço! — respondeu Will

Mas há coisas mais importantes reveladas. Coisas que eles não precisam dizer em voz alta porque o filme mostra a você.


Tipo o fato de Jack conseguir se safar de qualquer situação e que Will faz o que acredita ser certo mesmo quando tem que pagar um preço alto por isso.


A informação de quem vai ganhar a luta é importante, é claro. Mas é como o personagem vai ou não derrotar seu oponente que mostra sua personalidade e desenvolvimento. (Veja aqui um artigo sobre mostrar, não contar)


Como diz Marie Brennan:

O que eu acho que uma luta pode fazer por uma história é revelar, ou confirmar, ou mudar algo profundo sobre um, ou mais personagens envolvidos.

Na verdade, isso nos dá a estrutura de uma história: revelar quem é seu personagem em uma primeira luta, confirmar quem eles são em uma segunda e mostrar uma mudança em uma terceira.


Claro, estou falando de três lutas, mas caso você esteja planejando apenas uma luta, você pode adicionar isso no MICRO (ainda vou publicar um artigo falando como aplicar um MICRO interessante nas suas cenas de luta), como por exemplo:


Cena de Luta:

  1. Jack e Will lutam no chão. Revelar que o Jack é um safado e Will é muito correto.

  2. Jack e Will lutam em cima de uma mesa. Confirmar que Will é certinho.

  3. A luta é parada por guardas. Mudar o jeito de Will, pois ele se manda.

Ficou um exemplo bem ruim, mas você entendeu o que quero dizer.


Se você integrar esse método em suas cenas de luta, elas se tornarão essenciais para a história, em vez de separadas.


2. "Não consigo acompanhar o que está acontecendo"

 

Ser capaz de acompanhar a ação é extremamente importante, caso contrário, sua luta será uma grande bagunça.


É difícil se importar e continuar lendo quando você está sendo agredido por palavras que não consegue compreender.


A solução não é entrar em muitos detalhes sobre o que está acontecendo, na verdade, isso provavelmente tornará as coisas mais complicadas, mas, em vez disso, sugiro que você preste atenção ao cenário.


Dê vida ao ambiente.

 

O espaço sempre terá uma grande relevância em como seus personagens alcançam seus objetivos.


Por esse motivo, você (preferivelmente) deve fazer um mapa do local para saber melhor o que está acontecendo.


Você não precisa explicar cada centímetro ao leitor, mas precisa estabelecer o espaço.


E uma dica importante: mostre o local antes da luta porque durante a luta não haverá tempo.


Há muitas coisas boas a serem ditas sobre a luta icônica de A Princesa Prometida de William Goldman, mas vamos olhar apenas para o cenário.


No livro, Iñigo leva um momento, um único parágrafo para examinar o campo de batalha:


A Princesa Prometida — William Goldman (Pág. 129)


Há as árvores com raízes para tropeçar, os rochedos dos quais se pode pular e o penhasco, que é especialmente perigoso.


Quando a luta começa ela se move entre as árvores, as pedras, o penhasco, mostrando os pontos fortes e fracos dos lutadores em diferentes áreas.


E é fácil perceber que quem é empurrado para mais perto do penhasco fica em desvantagem.

Uma luta também pode revelar coisas novas sobre o cenário.


Os espectadores estão torcendo pela luta?

Ou fechando as janelas e ficando dentro de casa?

Eles estão ignorando isso, surpresos e inseguros?

Ou eles estão correndo para separar os combatentes?


É muito bom dizer: "Sim, as pessoas por aqui odeiam violência", mas é apenas quando uma briga começa que você vê se as pessoas fogem da violência ou correm em direção a ela. E isso provavelmente ficará na mente de seus leitores por muito mais tempo.


3. "A ação é chata"

 

Realmente não importa quão bom é o seu cenário se quando a ação começar for tudo: “Ele chutou, socou, chutou, socou, chutou e socou.

A luta parece estática quando falta um impulso e uma força de vontade envolvida nos personagens.

Entenda: a palavra cena é mais importante do que a palavra luta.


Faça disso uma cena de resolução de problemas.

 

Primeiro, certifique-se de que está claro qual problema o personagem principal deseja resolver e por quê.

Aqui estão alguns problemas simples:

  • "Eu quero passar por você para salvar alguém"

  • "Eu quero derrotá-lo para provar algo a mim mesmo"

  • "Você tem uma coisa que eu preciso"

E o sempre clássico:

  • "Eu acabo de descobrir que não quero lutar com você.“

(Tipo o final do primeiro arco em Destino Elementar — Rose Kethen).

Dentro da cena, seus personagens devem tentar e falhar em atingir seu objetivo várias vezes, fazendo-os pagar um preço (consequências) por cada falha e vá escalando o conflito. Coisa que em Destino Elementar acontece.


Temos um capítulo inteiro apenas do jovem Henry (protagonista) tentando parar a guerra, mas um bocado de criaturas bobocas lhe atrapalhando. (Capitulo 11).


De qualquer forma, faça o seguinte: entre na cabeça do seu personagem e mostre o que está acontecendo, conforme o personagem se aproxima ou se afasta de seu objetivo.


Ambas as narrativas precisam se unir e trabalhar em conjunto e, quando o fizerem, seus leitores não vão perder o foco já que há um diálogo envolvente, mesmo que seja um dialogo sem palavras sendo ditas.


Pense nisso.


4. "Muitos Detalhes"

 

Se você mergulhar muito fundo na técnica de combate, poderá deixar os seus leitores confusos ou entediados.


Seu trabalho não é reproduzir a luta em todos os detalhes, é capturar e transmitir o sentimento da luta, e a melhor maneira de fazer isso é deixar o leitor trabalhar por você.


Deixe o leitor coreografar a ação.

 

Sem o seu leitor, sua história é apenas um emaranhado de ideias em uma página.

São eles que dão vida, em suas mentes, a essas ideias; tudo o que eles precisam são de algumas dicas para começar.


É por isso que você não dá todos os detalhes em nenhuma situação.


Você deixa as coisas para a imaginação do leitor.


E isso funciona especialmente bem em cenas de luta.


O autor Sebastien de Castell (um cara que ganhou o Prêmio Astounding de Melhor Novo Escritor e o Prêmio David Gemmell de Fantasia) diz:

Mostre a eles no início da luta como cada arma se move através do espaço - torne isso vívido e visceral. O leitor será capaz de preencher a ação enquanto você descreve o que seus personagens estão dizendo, o que estão pensando e o que está mostrando em seus rostos. Em outras palavras, ajude o leitor a coreografar a luta para que você possa gastar seu tempo no drama.

Acho que este é um ótimo conselho, seja viceral, dê o tom, depois sinta-se à vontade para abstrair e deixar que o leitor assuma o controle.


Em outro artigo, comentaremos melhor a respeito de como você pode mudar o TOM da luta, seja ela uma luta séria, ou mais "teen".


Permita preencher o leitor preencher alguns espaços em branco. Não seja um chato da descrição.


5. "Lutas Em Filme São Mais Emocionantes"

 

Somos uma geração visual, e quando recebemos todo o nosso treinamento de narração por meio de filmes e series isso vai bagunçar a maneira como escrevemos.


Aquela velha frase: "Um anime e uma vontade de escrever".


Não há nada de errado em estudar diferentes mídias, eu mesmo peguei a luta de piratas do caribe para fazer este artigo, mas esteja ciente dos pontos fortes de cada um e não jogue com os pontos fortes do filme se estiver escrevendo um Novel. Porque a prosa tem vantagens distintas.


Use todos os seus sentidos.

 

Quase todas as cenas de luta descrevem os visuais e os sons, como o diálogo e a quebra de ossos quebrados. Mas ver alguém sendo espancado é diferente de sentir.

  • Como é o toque do asfalto quando suas unhas o arranham enquanto você tenta fugir?

  • E quanto ao fedor de esterco dos estábulos próximos?

  • Ou a fumaça do cigarro de seu oponente fazendo cócegas em seu nariz?

  • O gosto pode facilmente se tornar clichê; com que frequência você leu que alguém sentiu o gosto de sangue na boca?

  • Ei, eu também escrevi isso, provavelmente todos nós escrevemos, mas que tal sentir o gosto da lama enquanto você é empurrado para baixo?

  • Saboreando o suor escorregadio ao morder a mão do oponente em uma última tentativa desesperada de escapar?

  • Nojento.

Os filmes são limitados a visuais e sons, então você realmente tem uma vantagem porque seu único limite é a imaginação do leitor.


E por falar nisso, isso também significa que você tem EFEITOS ESPECIAIS ILIMITADO!!!


som de explosão


6. "Isso parece irreal"

 

Peter Pan não é um artigo científico e o filme Os Infiltrados não é um documentário.


São montanhas-russas que não visam reproduzir a realidade com perfeita precisão.

Portanto, sua história não precisa ser real, mas também não precisa parecer real e isso é valido para cenas de luta.


Mas assim… se não acreditarmos que existe algum perigo, meio que tira o propósito da luta.


Apresente elementos de realismo.

 

Aqui estão algumas coisas que podem incomodar os artistas marciais que leem sua história:

  1. Cenas de luta não duram para sempre. As lutas reais são rápidas e brutais.

  2. Armas não são tão leves! A menos que você esteja escrevendo uma batalha de esgrima, você vai precisar usar todo o seu corpo.

  3. O treinamento leva tempo. Porque se trata de construir do zero e isso leva muito mais tempo do que pensamos. Depois, há o tempo de recuperação.

Se você já teve uma lesão, claro, a dor continua em sua mente, mas a razão pela qual acabamos frustrados depois é a recuperação lenta e cansativa.


Sim, em uma história de ação, é melhor ignorar isso depois de uma rápida cena de "cura mágica", mas em muitos casos pode ser uma oportunidade perdida.


Ninguém diria que As Crônicas de Gelo e Fogo são realistas, mas ter um personagem morrendo inesperadamente de uma infecção, ou derrubado, não por seu poderoso oponente, mas sim por uma lança nas costas dá a você um certo grau de credibilidade.


Às vezes, você quer que as coisas sejam mais reais do que a realidade, mas borrifar alguns desses elementos pode tornar o conflito mais tenso, mais perigoso e mais interessante.


7. "Não há razão para essa briga"

 

Às vezes, os personagens entram em conflito por motivos retardados, porque… não seria legal se fosse assim?


Sempre que a motivação do personagem se contorce de maneiras forçadas só para construir uma lutinha, vai parecer errado.


Mas isso não vai acontecer se você enraizar o conflito em quem os personagens realmente são e mostrar o que eles querem antes mesmo de colocarem os olhos um no outro.


Crie tensão antes da luta.

 

É como a velha Bomba de Hitchcock.


Hitchcock tinha um pensamento interessantíssimo sobre uma bomba debaixo da mesa, para designar o suspense. Ele dizia:

Suponhamos que há uma bomba debaixo dessa mesa. Nada acontece, e, então, de repente, 'Boom!', há uma explosão. O público fica surpreso, mas antes dessa surpresa, foi uma cena absolutamente comum, sem nenhuma consequência especial. Agora, uma situação de suspense. Há uma bomba debaixo da mesa e o público sabe disso, provavelmente por que viram o anarquista que a colocou. O público está consciente de que a bomba vai explodir à uma hora e há um relógio na sala. Ele está participando da cena. A audiência quer avisar os personagens: 'Vocês não deviam estar falando sobre esses assuntos triviais. Há uma bomba embaixo da mesa e está prestes a explodir'.

Isso é suspense.


O equivalente a bomba aqui é deixar o leitor saber que uma luta fantástica está chegando; isso os fará virar a página.


E você não precisa martelar essa informação, porque o leitor é inteligente.

Se você mostrar um lutador durão que quer algo que é completamente o oposto do que seu protagonista deseja, isso por si só nos fará imaginar e antecipar o que acontecerá quando essas duas forças entrarem em conflito.


E está tudo enraizado em acreditar nos desejos e necessidades desses personagens.


Se já estivermos animados antes da luta começar, a luta em si não precisa se prolongar.


O que nos leva ao...


8. "É muito longo!"

 

Como mencionado, um elemento da luta realista é a brevidade; as lutas geralmente terminam rápido.


Então, se tudo mais falhar, torne suas lutas mais curtas.


Isso não os deixará menos tensos, não se eles tiverem uma estrutura adequada, e ninguém nunca pulou uma cena de luta porque é muito curta.


Mas a solução não é torná-la uma frase, como: “E eles lutaram epicamente”, então onde você traça o limite de uma luta?


Mantenha o foco.

 

Em uma luta, seus personagens estarão mais focados do que o normal.

Sua escrita deve refletir isso, com frases curtas e rápidas.


Em vez de "eles puxaram um ao outro, cada um tentando obter a vantagem", você pode simplesmente escrever "eles puxaram-se".


Online (sinonimos.com.br) você encontrará listas de palavras que soam contundentes e não estou de forma alguma dizendo que você deveria colocar todas elas, mas são bons ingredientes para frases concretas e se você construir uma cena com frases como essa, você está bem do seu jeito.


ATENÇÃO: É obivio que isto não é bem uma regra, muito pelo contrario, é apenas uma dica. Existem formas bem interessantes de você conseguir dar bastante detalhes em uma luta de maneira natural, coisa que Arthur Conon Doyle faz muito bem em: Conan, O Barbaro e Solomon Kane.


Porém, como o artigo tem que ficar curtinho, acabei deixando isso de lado por aqui. Nos próximos artigos de luta nós vamos falar sobre essas coisas especificas e quebrar paradigmas, hehe.


Conclusão.

 

Você precisa meter tudo isso em cada cena de luta? Não.


Mas se a luta não revelar nada de novo, talvez você deva fazer um esforço extra para mantê-la focada e breve.


Se a luta não tiver elementos realistas, destaque como os personagens se empenham em atingir seus objetivos, pois se o conflito funcionar, o resto é resto.


Como sempre, você não vai escrever nada perfeito em um primeiro rascunho. Eu aconselharia pensar bastante sobre o assunto o máximo possível.


Se você não tiver certeza, escreva muitas cenas de luta! Escolha uma dessas dicas e concentre-se em focar em uma delas.


Pegue sua caneta e comece a batalhar com o papel! Ou com as tecladas, hihi.


Resumão:

  • Revelar Personagem.

  • Dê vida ao cenário.

  • Solução de problemas.

  • Deixe o leitor coreografar.

  • Use todos os sentidos.

  • Elementos de realismo.

  • Crie tensão.

  • Mantenha o foco.

Qual é a sua cena de luta favorita de todos os tempos? Deixe-me saber nos comentários!


Mantenham em mente crianças: CENAS DE LUTAS SÃO COMPLICADAS, e este foi só o básico. Vejo vocês falando sobre coisas mais... complicadas, em outros artigos.


Enfim, continuem escrevendo.

340 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page