top of page
  • Foto do escritorBernardo Monteiro

Dentro de Contexto: Tema e Temática

A arte conecta os corações das pessoas. Negar isso é até loucura, eu diria.


Quando uma música nos toca, é porque houve uma identificação com a letra, o sentimento que ela traz. Inclusive, é essa identificação que faz uma música ser imortal, transcender o próprio tempo.


A escrita não é diferente.


História é sobre as experiências, boas ou não, de um personagem. Cada pessoa tem suas próprias vivências, às vezes semelhantes, mas sentidas unicamente por cada um. E escrevemos justamente sobre essas experiências.


Quando jogamos nosso personagem num grande conflito, é para mostrar como esse personagem vai reagir a isso, qual vai ser a experiência e o que ele vai aprender com isso.


E por que lemos até o final?


Para saber as consequências dessa experiência.


Com isso, surgem dois nomes para separar o que é e o que temos a aprender com a vida dos personagens.


Tema e Temática


De uma maneira simples, toda história tem uma mensagem. Tem uma moral. — Não, meu lindo, não há isso apenas nas fábulas. A diferença é que não vai estar escrito no final da história a moral dela. Mas saiba que ninguém sai de uma leitura sem levar nada.


Embora muitas vezes nem deixemos de lado o que aquela história nos ensinou.


E quando perguntamos sobre o que é a obra, não queremos saber se fala sobre carros voadores, naves espaciais… Queremos saber sobre que sentimento ela vai fazer surgir no nosso coração.


Histórias de romance falam sobre amor, do mesmo jeito que as de terror falam sobre o medo. O que eu vou aprender sobre amor ou medo é outros 500, mas toda história fala sobre um sentimento, um desejo humano.


E se você não sabe sobre o que a sua fala, então, meu amigo, você está um pouco lascado.


Mas como saber do que se trata minha história? Afinal, do que é que estamos conversando?


Segure aqui na minha pena, que eu vou explicar.


Temática


Estamos falando sobre a temática, que também vai ajudar a definir o gênero de uma história. Ela se trata do desejo humano. Ou seja, amor, guerra, ódio, lealdade…


E, embora alguns sintam dificuldade de achar, a temática será a ligação de tudo na sua história. Personagens, conflitos… tudo será colocado para mostrar, a cada momento, uma vontade humana.


A todo momento será jogado na nossa cara uma cena que mostre esse desejo.


E quando digo que tudo gira em torno da temática, estou me referindo às cenas, ações, o modo como os personagens se entrosam uns com os outros.


No filme "12 Anos de Escravidão", a todo momento nos é falado sobre a busca pela liberdade. Quando o personagem principal, mesmo enganado diversas vezes, continua buscando uma forma de se libertar daquela vida, é jogado em cima da gente esse desejo.


Quando ele se mantém na rebeldia, quando mente para continuar vivo, quando não aceita o pedido de outra escrava de matá-la. Cada pequena parte e decisão do enredo gira ao redor disso.


Claro, não há apenas uma única temática na história. Quase nunca fala sobre apenas uma coisa, afinal, cada personagem carrega um desejo, uma experiência. E isso também deve ser mostrado.


Como escolher a temática


Se tudo gira em torno da temática, é ela que precisamos conhecer primeiro.


Pense na temática como a única coisa que ficará na mente do leitor após a leitura.


Como disse antes, todos temos experiências únicas e a escrita é a troca dessas experiências. Mesmo que muita gente não acredite, mesmo que boa parte das histórias seja completamente diferente da vida real, a experiência que queremos deixar nelas sempre surge de uma de nossas experiências.


Então, sobre o que eu quero falar?


Vamos dizer que… sobre a impotência humana.


Com esse sentimento em mente, devemos buscar elementos que possam contribuir para que isso se torne aparente. Se quero falar sobre a impotência humana, tenho que colocar o ser humano como algo comum, quase como uma formiga caminhando na sua perna agora.


Claro, não é obrigatório você começar pela temática, eu mesmo não costumo começar pela temática.


Outro caminho é definir a situação inicial do seu personagem e só depois se perguntar o que quer mostrar com aquela situação.


Ex: Jornalista fracassado preso num hospital assombrado.


O que eu quero mostrar com isso? Que desejo?


Talvez a busca exagerada por reconhecimento. Obsessão.


Como ligar essa situação à temática? Aí é com você.


Para finalizar, é essa temática que dá sentido à obra. Sem isso, por que ela deveria ser lida?


Tema


"Toda história tem uma moral", foi o que disse antes. Essa moral é o Tema da história.


O tema é a mensagem que vamos achar quando lermos toda a história, e, acredite, nem mesmo o próprio autor acha facilmente.


Alguns autores sabem sobre o que querem escrever, mas só sabem a mensagem que querem passar quando terminam de escrever. Talvez eu seja um desses.


A questão é: a mensagem de uma história está relacionada com a temática dela. Ou seja, se Velozes e Furiosos fala sobre lealdade, qual a mensagem sobre lealdade que a história deseja passar?


Infelizmente não assisti todos os filmes para saber a resposta, então se você sabe, coloca nos comentários para eu ver.


Com isso, tema é a lição, sobre a temática, que encontramos numa história.


Mas como disse antes, o tema é difícil de encontrar. Por isso, não é legal ficar fissurado nele. Se a sua história tem uma temática, alguém vai aprender algo sobre isso, seja bom, seja ruim.


A escrita é sobre experiências, cada um tem a sua, por isso que o que eu aprendi ao ler O Filho da Feiticeira talvez seja diferente do que você aprendeu. Não somos iguais, mas todos temos experiências distintas sobre a mesma temática.


Uma pena que quase sempre esquecemos sobre essas coisas. Então não esqueça disso e escreva com a certeza de que, se alguém te perguntar sobre o que é a sua história, vai saber responder.

147 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page