top of page
  • Foto do escritorLuiz Gê

Organize seu tempo! – Saiba o que não pode faltar na sua rotina de escritor(a)

Ao longo dos meus anos de aprendizado de escrita, houve momentos em que, devido a situações externas, fui me distanciando do ato de escrever e me aproximando do ócio e da frustração que era não conseguir fazer aquilo que eu mais gostava.


Procurei em vários artigos de escrita e materiais de estudo, mas nenhum deles falava sobre o problema que eu estava enfrentando e tampouco me ensinavam a como sair dela.


Quando estava prestes a aceitar que o problema era eu, uma discussão em um servidor de escrita me fez perceber que havia mais pessoas sofrendo do mesmo mal que o meu e que existia um tópico no ramo da escrita que ninguém nunca explorou — ou que era pouco comentado.


Foi então que abandonei a pressão, que coloquei em mim mesmo, de me especializar em um ramo da narrativa para me dedicar a algo novo, que posteriormente teria conhecimento de que se tratava de algo chamado pré-escrita.


Ela engloba tudo o que um escritor faz antes de iniciar o primeiro rascunho, e isso leva a determinar o tema pretendido, organizar os Plot Points e estabelecer personagens.


O primeiro estágio do processo de escrever geralmente envolve o brainstorming, o planejamento, o mapeamento, a pesquisa e o esboço.


No entanto as pessoas costumam pular a etapa mais importante: o planejamento. Você precisa organizar o seu tempo e espaço, e por isso, neste artigo, nós falaremos sobre rotina e espaço adequados para escrever.


O lugar perfeito para mim é nos jardins de um castelo japonês ao pé do Monte Fuji, usando quimono, sentado aos pés de uma sakura, com um bom matcha, escutando Música Tradicional do Japão em loop…

 

Bem, eu nunca estive em um lugar como esse, o que me faz pensar que não vale a pena perder tempo procurando pelo lugar perfeito… até porque ele não existe.


Existe, no entanto, lugares “impossíveis” de se escrever. Já escrevi em ônibus, carros, durante as aulas — não recomendo, desculpe-me professores… — e posso te dizer que o pior lugar para se escrever… é dentro de casa.


Para um lar se transformar em uma prisão, basta um problema.


Pais em processo de separação, brigas entre familiares, um ente querido com a saúde debilitada… enfim, situações assim vão te deixar tão pra baixo que você não vai sentir vontade de escrever — ou sequer fazer algo.


Por isso, em casos desse tipo, recomendo que você saia de casa para escrever em um lugar mais afastado de onde você mora e mais tranquilo, como um parque, uma praça, uma cafeteria, etc. A ausência do convívio com aquele problema vai te fazer esquecer dele por um certo momento.


Porém, caso você esteja passando por nenhum problema em casa, o ideal seria você evitar cômodos onde você costuma passar a maior parte do tempo, como o seu quarto ou o sofá da sala de estar.


Tente escrever em uma parte de sua moradia que seja confortável e que você passa pouco — ou nenhum — tempo nela, como uma sacada — caso você more em um apartamento — uma varanda, um quintal, a mesa da cozinha — fora dos horários de refeição, claro — etc. Assim, sempre que você for nesses lugares, seu cérebro vai assimilar eles com a atividade de escrever.


E, por fim, caso você se sinta confortável em casa e no seu quarto, e não tem outro lugar para ir, então lhe recomendo duas coisas: evite escrever sentado na cama e escreva em uma escrivaninha no canto do seu cômodo. Um serve para dormir e vadiar, enquanto o outro, para trabalhar e ser proativo.


Dito tudo isso, o lugar adequado para escrever deve ser calmo e com o mínimo de distrações. O ideal é que você tenha uma mesa para escrever de forma confortável, mas, na verdade, qualquer lugar serve.


Acostume-se; dias ruins, sempre cheios de imprevistos e surpresas desagradáveis, acontecem.

 

Você pode acordar com o pé esquerdo, levar um bolo do(a) muso(a) inspirador(a), ter uma crise de enxaqueca, enfim, coisas terríveis podem acontecer, e nem sempre você vai querer escrever. Isso é normal.


Nesses dias, você terá 2 opções viáveis: se forçar a escrever ou escrever menos que o planejado, mas o importante é não ceder facilmente e não se acostumar com esses dias ruins, como se você estivesse torcendo para que eles acontecessem e você tenha uma boa desculpa para não poder escrever. Portanto, na dúvida, escreva um pouquinho, mas escreva.


Quando estiver em um dia desses, exercícios de escrita são úteis para o combate e prevenção de bloqueios criativos.


Nos servidores da Novel Brasil, contamos com dois eventos diários: o escrita criativa e o rinha de escrita. Cada um deles vai além de preparar os seus músculos da escrita e desenvolver o seu estilo.


O escrita criativa consiste na capacidade de elaborar um texto interessante, fugindo do óbvio, que segure o leitor até o fim e ainda o deixe satisfeito com os minutos gastos na leitura. Isso é sinônimo de fugir de formas engessadas e apostar em analogias, nas figuras de linguagem e em uma história cativante.


Em contrapartida, writing prompts, ou "propostas de escrita", são pequenas descrições que propõem uma história a partir de requisitos próprios. Em outras palavras, a rinha de escrita te desafia a escrever uma história a partir de descrições inusitadas e criativas.


Por exemplo:


— Você deveria ter atirado duas vezes.

Trata-se de uma proposta de diálogo, mas você é livre para escrever a história que quiser — desde que tenha relação com a proposta.


As writing prompts vão além da sua zona de conforto, colocando a sua criatividade ao limite. Além disso, é uma boa oportunidade para experimentar novas vozes e ver o que mais combina com o seu estilo.


Como inserir a escrita na rotina?

 

Isso logicamente vai depender de como é o seu dia. Se você tem 5 irmãos pequenos, se dorme a tarde inteira, enfim, tudo isso deve ser manejado para que a escrita se encaixe em pelo menos dez minutos do seu dia.


Pode ser antes de dormir, após acordar, durante o café, entre outras brechas do cotidiano.


No início, planeje no mínimo 10 minutos e no máximo 2 horas.


Planeje escrever todos os dias, no mesmo horário, e faça uma espécie de ritual para ensinar o seu cérebro que você está prestes a escrever. Em outras palavras, coloque uma música, desligue o celular — A MENOS QUE VOCÊ ESCREVA NELE! —, faça um chá ou apenas coloque um despertador para começar a escrever.


No começo, é difícil, e até meio chato, mas com o tempo você terá mais facilidade para começar e sua escrita será cada vez mais fluida. É uma questão de tempo e persistência.


Sobre estudar e trabalhar fora

 

Aos que trabalham e estudam fora o dia inteiro, escrever quando chegar em casa é uma péssima ideia.


Por isso, sejamos realistas: aproveite as brechas do tempo, sem sacrificar os seus descansos. Então escrever no transporte público, durante o almoço no refeitório da empresa, no intervalo entre aulas, ou somente aos finais de semana já são boas ideias para começar.


Com o tempo, você verá o que deu certo e o que pode ser aumentado e também o que não repetir nunca mais. A realidade é que qualquer rotina pode ser ajustada ainda que um pouquinho, especialmente se você tem sonhos e projetos.


Lembre-se sempre de que escrever um pouquinho já é escrever, já significa que treinou, que tentou, e isso fará toda a diferença na sua carreira literária.


Tome o tempo que quiser para planejar a sua rotina e organizar o seu espaço de escrita.


Fazer exercícios às pressas, de qualquer jeito ou simplesmente deixar pra lá, porque você "não tem tempo", é a garantia de que você não vai escrever cada vez melhor.

 


O autor Kevin J. Anderson escreveu um artigo intitulado: "Se eu tivesse tempo", no qual ele critica as pessoas que sempre sonharam em escrever um livro, mas nunca conseguiram, porque não tinham tempo. Segundo ele, muitas dessas pessoas realmente acreditam que, se elas tivessem tempo, também seriam capazes de publicar e fazer muito sucesso. Mas a crítica desse autor se encontra nessa supervalorização do tempo, como se todos os bons escritores só são bons porque têm tempo de sobra.


Uma pessoa que escreve bem é aquela que conseguiu, mesmo atarefada e cheia de responsabilidades, treinar a sua escrita e persistir no aperfeiçoamento de suas habilidades. Escrever não é só escrever, é planejar uma história, saber estruturá-la, pensar em enredos intrigantes, criar conflitos interessantes, construir personagens profundos e muito mais.


Portanto, se nós não somos capazes de reservar 10 minutos para treinar habilidades, como esperamos conseguir publicar um livro, que envolve muitos outros fatores, além de ter tempo para escrever?


Os exercícios que citei anteriormente, por exemplo, não são tão exigentes, e a ideia é começar com pouco para aumentar gradualmente. Em algum momento, todos nós começamos com pouco, como diz um famoso ditado: "A natureza não pula etapas."


Por isso, volto a enfatizar o planejamento. Se for impossível encaixar a escrita em alguma parte de seu dia, recomendo a criação de um diário de bordo, a fim de melhorar sua experiência e obter um conhecimento mais amplo sobre o seu processo de produção textual.


Diário de Bordo

 

Diários de bordo são documentos, muito comuns em escolas, nos quais são registradas todas as etapas de um projeto. Neste caso, escrever um livro ou uma webnovel será o seu projeto, e o diário de bordo servirá como um registro de todos os capítulos realizados ou de exercícios feitos, diante de um bloqueio criativo ou um dia ruim.


Soa meio infantil, mas a principal ideia do diário de bordo é manter as suas anotações em um lugar seguro, que não se perca com o tempo. Assim você poderá sempre se lembrar de como ocorreram suas tarefas, o que aconteceu, como você se sentiu, etc.


Escrever em um diário de bordo vai exigir que você escreva por mais uns 5 ou 10 minutos, e isso pode ser inviável numa rotina apertada. Mesmo assim, veja algumas vantagens de manter esse projeto paralelo.


Autoconhecimento

 

Quando você escrever em seu diário de bordo, registre todas as etapas da sua produção. Quanto tempo demorou para fazer, se você procrastinou, se se sentiu ansioso, entusiasmado, cansado, entre outros detalhes pessoais.


Com tais registros, você terá acesso à emoções e atitudes que acompanham a sua escrita e que podem ajudar ou atrapalhar o seu processo.

Gradualmente, você se conhece melhor e pode pensar em caminhos para intensificar ou diminuir partes da sua personalidade.


Facilidades e Dificuldades

 

Além do autoconhecimento geral, você também é capaz de identificar facilidades e dificuldades do processo.


Escreva se o exercício foi mais difícil ou fácil do que o anterior e lance hipóteses sobre isso. Talvez você descubra que possui mais facilidade em construir personagens do que mundos, por exemplo, ou perceba que escrever pela manhã foi mais fácil do que à tarde.

Identificar facilidades e dificuldades é o primeiro passo para aprimorar o seu comportamento diante da escrita, além de saber o que deverá ser estudado com maior profundidade no futuro.


Reflexões Futuras

 

Será possível refletir sobre projetos futuros. Se você está pronto ou não para escrever um livro, se percebeu uma melhora na escrita, se gostou ou não da experiência, entre outras reflexões.


Escrever em Dias Ruins

 


Por mais que escrever no diário de bordo seja aumentar o tempo de escrita na sua rotina, caso você esteja em um dia ruim, você poderá apenas escrever no diário de bordo e deixar o exercício pro outro dia — Desculpe, Dob…


Novamente, escrever um pouquinho já é escrever, e registrar no diário de bordo que você está em um dia ruim já é um valioso registro para suas reflexões futuras.


Não deixe de falar um pouco sobre o seu dia e todos os fatores que podem ter influenciado a sua escrita para o melhor ou para o pior. Isso poderá te ajudar a identificar os melhores e piores dias para escrever, no futuro.


Onde escrever?

 

Bem, não há um lugar específico. Você pode escrever em um diário de verdade ou em um bloco de notas.


Criar o diário de bordo em um local novo e exclusivo pode aumentar as suas chances de valorizar o projeto e dar a atenção que ele merece. Experimente escrever após cada capítulo ou ato feito, ou cada exercício.

Finalmente, chegou o grande momento de finalizar o projeto do diário de bordo e refletir sobre toda sua trajetória até aqui.


Mesmo que você tenha pausado ou dropado o projeto, a reflexão será possível, ainda que um pouco menor.


Tenho certeza de que todo o tempo que você aproveitou para escrever, apagar e reescrever fizeram toda a diferença no seu hábito e no aprimoramento de suas habilidades.


Isso, é claro, se você de fato escreveu. Sem a sua escrita diária, sem sua parte, seu projeto é 100% inútil.


Por isso a ideia de elaborar um diário de bordo, porque, dessa maneira, você terá para sempre uma espécie de relatório de todas as suas atitudes, emoções e impressões ao longo do projeto.


Eu não farei nenhuma interpretação mirabolante nem diagnósticos fantásticos. Esse diário de bordo é seu, e você deverá refletir sobre ele.


Fonte: https://www.udemy.com/share/101y9W3@y6eRvep8fiBApy54TvG6- PMliVpHwykZtze2oG5LBpi90rPfxFa2Zk05pz-aDnUi_w==/


Tags:

308 visualizações1 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

1 Comment


Davi Woo
Davi Woo
Apr 16

Bom demaiss obg, tá me ajudando bastante

Like
bottom of page